Basicamente, alucinações são a percepção errada de um estímulo que não existe, isto é, a pessoa percebe uma informação que não é real.

No entanto, a pessoa pode ou não ser consciente do fato que ela tem uma alucinação.

Vale mencionar que antes de uma doença, uma alucinação é um sintoma de algo mais sério, necessitando de um diagnóstico para saber qual a causa, e então tratar.

Se esse é um assunto novo ou alguém próximo relatou que está ouvindo vozes ou vendo coisas, vamos explicar tudo aqui!

Quais as causas de alucinações?

Doenças psiquiátricas representam as causas mais frequentes das alucinações crônicas, e geralmente podem ter origem em:

  • Transtorno bipolar;
  • Depressão grave;
  • Choque emocional;
  • Esquizofrenia.

Além disso, certas doenças crônicas, por exemplo, a demência, infecciosas (encefalite), ou o abuso de drogas ou álcool são um fator de risco.

Uma pessoa sob o efeito de drogas, ou no período de abstinência de drogas, como álcool, cocaína, crack e outras pode apresentar alucinação.

Por isso, no caso de um dependente de drogas ou alcóolico, é essencial ficar atento aos sinais, onde o tratamento para dependência química é muito eficaz e com o tempo, a pessoa não tem mais alucinação.

Quais os sintomas?

As alucinações podem afetar um ou mais sentidos. Na maioria das vezes, são auditivas (a impressão de ouvir vozes ou sons) ou visuais (impressão de ver imagens irreais, como vultos, bruxas, anjos).

As visuais  são o tipo muito comum em dependentes químicos ou problemas neurológicos ligados ao alcoolismo.

A boa notícia é que o tratamento para alcoolismo vai ajudar a fazer desaparecer essas sensações, e claro, dar toda a assistência ao longo do processo.

Embora menos frequentes, pode haver uma alucinação olfativa, gustativa, tátil e corporal.

Por exemplo, uma sensação de calor ou frio, formigamentos ou um gosto e cheiro desagradável.

Vale lembrar que normalmente as pessoas ou até os familiares escondem ideias alucinatórias, muito em razão dos tabus que ainda existem.

Delírio x alucinação qual a diferença?

Muitas pessoas ainda confundem delírio com alucinação, achando que é a mesma coisa, mas não é.

Enquanto o delírio é decorrente de um estímulo externo, a alucinação é algo proveniente da mente, ou seja, é um fenômeno interno.

Ou seja, a alucinação ocorre a partir da distorção da própria mente, com a percepção de aquilo é real e muito nítido.

Já no caso dos delírios, há uma distorção do estímulo, e assim, a pessoa tem uma interpretação errada da realidade.

Como tratar alucinações?

O tratamento vai depender da causa das alucinações.

Alguns casos, podem ser tratadas com o uso de medicamentos e acompanhamento psiquiátrico, no entanto, outros necessitam uma intervenção mais incisiva, por exemplo, a internação em uma clínica de recuperação.

É essencial que um profissional especializado diagnostique, e então propor o tratamento mais adequado, assim como a dosagem e a duração.

Portanto, se você desconfiar que um familiar ou amigo possa estar tendo uma alucinação, busque ajuda o mais rapidamente possível, pois muitas vezes o paciente possa não alcançar o que está acontecendo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Este campo é obrigatório.

Este campo é obrigatório.