Abuso de Substâncias: O que é, Causas e Sintomas.

Os problemas de abuso de substâncias são questões médicas, onde o uso de uma substância em excesso pode provocar uma série de consequências.

Pode afetar as relações da pessoa com sua família e amigos, sua capacidade de cumprir suas obrigações, assim como gerar comportamentos perigosos.

É essencial quem está por perto estar atento aos sinais, e se possível, buscar ajuda o quanto antes, por exemplo, propor um tratamento para alcoolismo.

Para você entender melhor o que é usar substâncias de forma descontrolada, vamos explicar aqui as causas e sintomas.

Abuso de substâncias o que é?

Abuso de substâncias resulta do consumo constante de drogas, álcool ou outras substâncias, que pode afetar os pensamentos, emoções e percepções.

Embora cada substância tenha seus próprios efeitos e riscos, falamos de uso abusivo quando o consumo começa a ter consequências negativas na vida da pessoa.

Ou seja, o consumo de substâncias pode ter um impacto imediato e a longo prazo, no corpo e no cérebro, cujos efeitos dependem do tipo de droga, a frequência, o tempo de uso, assim como o estado de saúde da pessoa.

Se você desconfiar que um familiar ou amigo não tem mais controle, uma ótima alternativa é buscar tratamento em uma clínica de recuperação, de forma a evitar problemas mais graves.

Quais as causas?

Praticamente todas as substâncias associadas a problemas de dependência afetam um mecanismo de recompensa no cérebro.

A dopamina é o mensageiro químico principal que garante esse mecanismo. Cada vez que a pessoa usa uma substância, ela experimenta uma sensação de bem-estar, o que a leva a usar novamente.

Com o tempo, mudanças se produzem no cérebro (por exemplo, diminuição da produção de dopamina) e os efeitos agradáveis proporcionados pela substância diminuem.

Por consequência, maiores doses da substância são necessárias para obter a mesma sensação.

Apesar das causas de abuso de substâncias não sejam ainda muito claras, alguns fatores estão envolvidos: ambiente, hereditariedade, o uso recreativo, problemas de saúde mental…

Sintomas de consumo abusivo de substâncias

Em primeiro lugar, o abuso de substâncias pode levar a uma dependência física, psicológica ou às duas.

Quando se trata de dependência física, isso implica uma tolerância a uma substância, que significa que a pessoa vai consumir mais e mais.

Os sintomas dependem da substância consumida mas, em geral, os mais frequentes são:

  • Oscilações de humor, como irritabilidade, nervosismo;
  • Perda geral de motivação;
  • Diminuição da concentração e problemas de memória;
  • Mudanças nos hábitos de sono e alimentação;
  • Negligenciar cuidados pessoais e com a aparência;
  • Faltar no trabalho ou na escola, juntamente com baixo desempenho;
  • Necessidade urgente de dinheiro.

Dependendo da intensidade desses sintomas, isso envolve riscos físicos, emocionais e sociais, sendo essencial buscar o mais rapidamente possível tratamento para dependência química.

Quais os riscos de abuso de substâncias?

O uso abusivo de substâncias pode acarretar riscos graves, como complicações físicas, emocionais e sociais.

Vamos dar apenas alguns exemplos:

  • O álcool pode provocar danos ao fígado;
  • A injeção de substâncias pode causar infecções, como hepatite e AIDS;
  • Certas substâncias podem causar confusão, problemas mentais, ansiedade;
  • Aumentar a probabilidade de conflitos com familiares e amigos.

Enfim, agora que você já entendeu o que é, causas, sintomas e riscos de abuso de substâncias, lembre-se da importância de buscar tratamento o mais breve possível!

Alucinações: Causas, Sintomas e Tratamentos

Basicamente, alucinações são a percepção errada de um estímulo que não existe, isto é, a pessoa percebe uma informação que não é real.

No entanto, a pessoa pode ou não ser consciente do fato que ela tem uma alucinação.

Vale mencionar que antes de uma doença, uma alucinação é um sintoma de algo mais sério, necessitando de um diagnóstico para saber qual a causa, e então tratar.

Se esse é um assunto novo ou alguém próximo relatou que está ouvindo vozes ou vendo coisas, vamos explicar tudo aqui!

Quais as causas de alucinações?

Doenças psiquiátricas representam as causas mais frequentes das alucinações crônicas, e geralmente podem ter origem em:

  • Transtorno bipolar;
  • Depressão grave;
  • Choque emocional;
  • Esquizofrenia.

Além disso, certas doenças crônicas, por exemplo, a demência, infecciosas (encefalite), ou o abuso de drogas ou álcool são um fator de risco.

Uma pessoa sob o efeito de drogas, ou no período de abstinência de drogas, como álcool, cocaína, crack e outras pode apresentar alucinação.

Por isso, no caso de um dependente de drogas ou alcóolico, é essencial ficar atento aos sinais, onde o tratamento para dependência química é muito eficaz e com o tempo, a pessoa não tem mais alucinação.

Quais os sintomas?

As alucinações podem afetar um ou mais sentidos. Na maioria das vezes, são auditivas (a impressão de ouvir vozes ou sons) ou visuais (impressão de ver imagens irreais, como vultos, bruxas, anjos).

As visuais  são o tipo muito comum em dependentes químicos ou problemas neurológicos ligados ao alcoolismo.

A boa notícia é que o tratamento para alcoolismo vai ajudar a fazer desaparecer essas sensações, e claro, dar toda a assistência ao longo do processo.

Embora menos frequentes, pode haver uma alucinação olfativa, gustativa, tátil e corporal.

Por exemplo, uma sensação de calor ou frio, formigamentos ou um gosto e cheiro desagradável.

Vale lembrar que normalmente as pessoas ou até os familiares escondem ideias alucinatórias, muito em razão dos tabus que ainda existem.

Delírio x alucinação qual a diferença?

Muitas pessoas ainda confundem delírio com alucinação, achando que é a mesma coisa, mas não é.

Enquanto o delírio é decorrente de um estímulo externo, a alucinação é algo proveniente da mente, ou seja, é um fenômeno interno.

Ou seja, a alucinação ocorre a partir da distorção da própria mente, com a percepção de aquilo é real e muito nítido.

Já no caso dos delírios, há uma distorção do estímulo, e assim, a pessoa tem uma interpretação errada da realidade.

Como tratar alucinações?

O tratamento vai depender da causa das alucinações.

Alguns casos, podem ser tratadas com o uso de medicamentos e acompanhamento psiquiátrico, no entanto, outros necessitam uma intervenção mais incisiva, por exemplo, a internação em uma clínica de recuperação.

É essencial que um profissional especializado diagnostique, e então propor o tratamento mais adequado, assim como a dosagem e a duração.

Portanto, se você desconfiar que um familiar ou amigo possa estar tendo uma alucinação, busque ajuda o mais rapidamente possível, pois muitas vezes o paciente possa não alcançar o que está acontecendo.

Como Saber se Meu Filho usa Droga?

Às vezes, é um pouco difícil saber se seu filho usa droga, principalmente se for adolescente, visto que as mudanças de comportamento são normais durante a adolescência.
Seu filho pode fazer novas amizades, se vestir diferente ou escutar uma música estranha, mas isso não significa que ele esteja consumindo drogas.
Por outro lado, se tudo indicar que ele usa algum tipo de droga, quanto antes começar um tratamento para dependência química, melhor.
Portanto, se você está suspeitando que seu filho está usando droga, confira, a seguir, os sinais mais frequentes e o que você deve fazer para ajudá-lo.

Como saber se meu filho usa droga?

É normal alguns pais confundirem os sinais de uso de droga, pois a adolescência é uma fase cheia de mudanças, por isso, é importante saber diferenciar muito bem. 
Com certeza, a sensibilidade à flor da pele e ficar em silêncio é algo comum na adolescência, mas se seu filho parar de conversar com você, é algo a se preocupar.
Confira, a seguir, alguns sinais de alerta:

  • Baixo desempenho na escola;
  • Deixar de praticar atividades que gostava;
  • Novos amigos;
  • Isolamento;
  • Pedir dinheiro com frequência ou gasta mais do que costume;
  • Evitar olhar nos olhos;
  • Irritabilidade;
  • Falta de apetite;
  • Mudança nos hábitos de sono;
  • Oscilação de peso.

Além disso, se você perceber que ele está usando sempre colírios ou óculos escuros, é mais um fator para levar em consideração.

Quais os níveis de consumo de drogas?

No contexto de consumo de drogas, os especialistas identificam três níveis de uso:
Uso simples: Trata-se de um consumo ocasional que não provoca problemas sociais ou emocionais, e geralmente, é possível parar quando quiser.
Uso nocivo: Caracteriza-se pela piora dos problemas pessoais, psicológicos, físicos ou sociais, ligados ao efeito das substâncias ou pelo uso em excesso.
Dependência: Nesse estágio, há total perda de controle do consumo da droga, e muitas vezes, é necessário buscar uma clínica de recuperação.
Então, recomenda-se aos pais, caso suspeitem que seu filho usa droga, conversar com um profissional habilitado e experiente, caso contrário, pode piorar ao invés de ajudar.
Siga o seu instinto, e se alguma coisa te inquietar, converse com alguém que confie, pois duas cabeças funcionam melhor que uma, o que pode ajudar a estabelecer um plano mais eficaz.

Como ajudar meu filho?

O diálogo, nesse caso, é essencial, particularmente porque o adolescente pode estar mal informado e se basear em informações erradas e de fontes não oficiais.
É unanimidade entre os profissionais de saúde aconselhar que os pais mantenham um diálogo aberto, pois isso é uma forma de fortalecer a relação com seus filhos, tornando a comunicação mais fácil.
Por outro lado, é melhor evitar dramatizar, assim como não banalizar, afinal, riscos existem e dependendo do tipo de droga, as consequências à saúde podem ser bem sérias.
Não é raro ouvirmos histórias de jovens que precisam se submeter a um tratamento para alcoolismo tamanho o estrago feito.
O ideal é evitar chegar a esse ponto, e agir o quanto antes!